Christian Rosencrantz

[ comentários ]

Christian é o personagem da campanha de AD&D de Lucas Lopan. Essa campanha durou vários anos e por incrível que pareça chegou ao fim – fazendo de Christian meu UNICO personagem que teve um final feliz de verdade. Apesar de tudo eu faltei a vários jogos e meu personagem ficou um pouco atrás dos outros, mas eu gostava do jogo pela qualidade da interpretação e pelos esforço do mestre em mostrar um cenário bem construído. Estava programado uma continuação onde eu jogaria com o filho de Christian, mas devido aos problemas do mundo moderno, até hoje esse jogo não pode ser realizado.

Quando me chamaram para esse jogo de AD&D eu não fiquei muito animado, eu já jogava D&D 3E na epóca e o prospecto de voltar a jogar AD&D parecia um retrocesso. Mas como não tinha nada melhor que fazer na época decidi aceitar. Na segunda edição, haviam dois conceitos de personagem que eu nunca consegui utilizar antes de mudar para a terceira edição. Um era um bardo meio druidico cuja musica só funcionava em animais – mas Evelling já estava jogando de barda, então desisti desse – e um paladino swarshbuckler. Como eu tinha acabado de jogar Vagrant Story, estava com o nome Rosencrantz na cabeça, o reino natal do personagem seria Alcyra, que tem uma cultura que lembra a frança medieval, então peguei o prenome de Christian. Rolei os dados e para variar eu e atributos sorteados não combinamos, quase não consigo ser paladino – enquanto isso perto de mim, Hilton sorteava o uberr elfo – mas negociações e uma criativa distribuição de atributos destravam meu caminho.

O primeiro jogo foi memorável, no encontro entre o meu personagem e o de Hilton – o um elfo para todos dominar- revelei que meu personagem sabia falar elfico, porem com sotaque francês. Para quê ? Meia-hora rindo, e até o fim da carreira e mesmo tendo pego 95% das NPCs ele sempre foi considerado frutinha – ainda mas que depois que saiu o filme Troia, eu descrevi Aquiles como um bom exemplo da aparência de Christian, ai pronto, ganhou o estigma da armadura dele deixar a bunda de fora.

Após muitas aventuras pelo mundo criado por Lucas, nossos personagem foram convidados a corte elfica e lá Christian conhece a rainha dos elfos – também conhecida como a mulher mais impossível do mundo para um humano – conversa vai conversa vem, salvação dos reinos pra cá, males ancestrais para lá, ela vem e me dá um fora. Bom, Christian era O pegador, acho que nessa época ele tinha +17 de bônus de reação com mulheres – considerando que a média normal era +5 – e ele decidiu que até o fim da campanha ele pegava essa rainha. Acabou se tornando uma fixação, a mulher era osso duro de roer, e os elfos não deixavam barato também não um humano cortejando a rainha – ela era viuva, de um humano, logo não era tão impossível assim – ela ficou uns dois anos de jogo com a conversa de que as vidas dos humanos eram muito curtas, que ela não desposaria outro humano etc.. Ai eu comecei a ficar preocupado, mesmo os mais héroicos feitos não impressionavam a mulher e nesse ponto da campanha eles haviam perdido o contato. A fixação virou amor verdadeiro e Christian começou a ficar depressivo e ai ele morreu lutando sozinho contra um dragão negro realmente grande – peguei a curva errada na dungeon. Eventualmente ele ressuscitou depois que o grupo salvou um deus, e ele concedeu recompensas e um desejo em troca. Esse fato acabou nomeando Christian como arquipaladino e guardião do escolhido de Galka, que era o deus em questão. Não é que quando os problemas estavam se amontoando politicamente e fisicamente a mulher não voltou atrás e resolveu admitir que gostava dele – eu tinha tirado 20 natural quando eles se conheceram – Christian foi para a batalha final e caso sobrevivesse ele voltaria para ela, como eu não fui ao jogo da batalha final, o efeito Mark manteve Christian vivo e no jogo de epilogo a rainha abandonou o reino para ficar com Christian, que abandonou a posição de arquipaladino e de ser a mão direita do rei de Alcyra para ficar com ela – destruindo todo o plot político do meu personagem – eles meio que ocuparam um cargo diplomatico entre elfos e humanos e fim. Houve jogo posterior a isso, mas eu comecei a usar outro personagem porque a história de Christian acabara ali.

[ nome ] Christian Florian Rosencrantz

[ raça ] Humano

[ classe ] Paladino

[ kit de personagem ] Swarshbuckler

[ histórico ]

O feudo de Rosencrantz ficava nas montanhas de Alcyra e era conhecido pela respeitada produção de vinhos. A familia soberana havia ganho o titulo de nobreza através das ações do avô de Christian, lorde Rhysander Rosencrantz que foi um grande general nas guerras de seu tempo. Contudo, Christian era o terceiro filho da familia e muito afastado da linha de sucessão para nutrir muita esperança de ser declarado Lorde Rosencrantz. Apesar de seu sangue nobre e de sempre ter sonhado em se tornar um cavaleiro do rei como seu pai e seu avô, Christian oscilou por muito tempo entre a academia militar de Alcyra e a noite da capital. Seu espirito sonhador era alvo facil para as maravilhas da noite Alcyriana e mesmo não fazendo nada de errado sempre foi considerado como um rebelde por sua familia. Aprendeu elfico apenas porque por muito tempo elfico era considerada a lingua do romance entre a nobreza Alcyriana.

Eventualmente por seu própio mérito e esforço, sagrou-se paladino de Galka e alcançou uma posição como intermédiario entre os cavaleiros do reino e a guarda da capital. Evitava ao máximo depender de sua familia ou seus irmãos. Eventualmente conheceu um grupo de aventureiros que investigava uma conspiração envolvendo a nobreza Alcyriana, e como os ideais de Galka cada vez mais se tornavam incompatíveis com a, cada vez mais corrupta, classe nobre de Alcyra, pediu licença da guarda e seguiu junto com eles para identificar a origem do mal.

[ aparência ]

Christian nasceu com uma beleza quase sobrenatural. Possuía brilhantes olhos azuis, cabelos loiros curtos e porte fisico atlético. Seus feições era quase angelicais e mesmo os elfos ficavam admirados com sua beleza. Chegando ao ponto de ser confundido com Aasimares. Tambem era dotado de voz melodiosa e extrema capacidade diplomatica, servindo como mediador em inumeros conflitos.

Sempre esta bem vestido segundo os padrões da nobreza de Alcyra, principalmente em outros reinos porque sabe que ele representa seu reino. Mandou confeccionar uma armadura prateada com o símbolo de Galka que posteriormente foi encantada (nota do autor: essa armadura era ultra cheguei, era coisa de anime e mesmo assim aquela armadura que o héroi só pega na ultima luta).

[ personalidade ]

No começo Christian era bem futil em suas preocupações, mas com o tempo começou a ter uma visão mais ampla do mundo. Seu status como paladino é frequentemente questionado pelos fieis, até porque mais tarde acabou se tornando arquipaladino de Galka. O que muitos não entendem é que o grande sucesso de Christian com as mulheres é em parte derivado de sua aparencia sobre-humana e parte em justamente ser tão leal e bondoso, algo raro de se encontrar entre a nobreza.

Christian sabe que é impossível promover o bem sem quebrar alguns ovos, mas até agora conseguiu ao maximo evitar fazer algo que manchasse sua consciência. É capaz de apóstar sua vida sem pensar se a causa for nobre, mas precisa aprender muito no quesito humildade, já que por muitas vezes colocou seus própios desejos no caminho da justiça ao ponto da ambiguidade moral. (nota do autor: eu forcei a barra varias vezes com Christian, mas Lucas tem uma visão diferente do livro de como um paladino tem de se comportar, e no mundo que ele criou e surpreendente que existam paladinos pois todo mundo tem podres em sua vida, e os podres de Christian eram todos embalados em seda, como quando ele virou uma celebridade e donzelas de todos os reinos faziam fila para passar uma noite com ele, e eu justifiquei que ele faria um mal maior as essas jovens não correspondendo as expectativas delas).

[ ficha ]

Força: 16 Inteligência: 13 Destreza: 15 Sabedoria: 16 Constituição: 11 Carisma: 17 Aparência: 18

Pontos de Vida: 48 Classe de Armadura: -1

ThAC0 : 12 Dano: 1d6+3

Altura: 1,66m Peso: 68Kg

Idade/Aniversário: 26 anos / 07.08

Alinhamento: Lawful Good

Proficiências não bélicas: Montar cavalos, Heráldica, Etiqueta, Ler/escrever, Idioma elfico, Religião.

Proficiências bélicas: Rapier (estilo Rosa & Cruz, especialização, estilo com duas armas: main-gauche), Alabarda, Maça de infantaria.

Linguagens: Comum, Alcyra, Elfico.

Habilidades especiais: Encanto (+5 de reação), Sedução Swarshbuckler (+4 em reação com mulheres), Curar com as mãos (14 HP/dia), Ambidestro, Detectar o mal, Saúde divina, Aura de proteção contra o mal, Bônus nos savings, Afastar mortos vivos (paladinico), Magias de sacerdote (paladinicas), Agilidade do Swarshbuckler (+2 no AC se usando armaduras leves ou nenhuma).

Magias Divinas: 1º: 2: 2

Poder da fé: Igual a clérigo de 4º nível

Itens mágicos: Beijo da justiça (artefato menor, uma rapier mágica), Vingadora Sagrada, Full Plate +1, Tiara de batalha

Anúncios
  1. maio 4, 2008 às 2:55 am

    HAHHAHAAHAH
    Muito bom!
    Gostei mesmo. Relembrou bons momentos. Um PS importante: Você tinha sotaque afetado e francês, o que mais podia acontecer?
    🙂

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: