Início > Reviews > Resenha – Pathfinder Chronicles: Guide to Darkmoon Vale (OGL)

Resenha – Pathfinder Chronicles: Guide to Darkmoon Vale (OGL)

Se pudermos classificar o catalogo da Paizo com altos e baixos, este aqui certamente pode ser seu ponto mais baixo (mesmo tendo ótimas qualidades). Inicialmente este livro era um sonho tão belo, afinal depois da Paizo ter nos dado Sandpoint no Pathfinder Adventure Path #1, depois de o autor Mike MacArtor ter escrito o Guide to Korvosa, a junção de ambos para criar a versão da Paizo para o clássico vale de isolado cheio de aventuras não poderia dar errado não é ? Provavelmente foi a pressa de adiantar lançamentos antes da eminente GenCon, ou possivelmente uma briga entre o autor e a diretoria da Paizo (ele passou a escrever bem pouco depois disso e ficou um longo tempo afastado do RPG), mas o livro está cheio de erros e de qualidade apressada. Existem parágrafos incompletos, monstros faltando, NPCs que aparecem com duas fichas diferentes, é realmente uma tristeza porque esse livro tinha tudo para ser um verdadeiro tesouro para qualquer mestre de fantasia medieval já que ele tem pouquíssimo conteúdo de regras e apesar de tudo tem ideias excelentes para recriar o clássico dos lugares comuns.

O livro fala sobre o Darkmoon Vale (Vale da Lua Escura), ele tem esse nome por ser uma das maiores reservas de Darkwood de Andoran, Darkwood é uma madeira escura muito resistente e muito importante para a industria naval de Andoran, tão importante que eles se tornaram dependentes do Lumber Consortium (literalmente consorcio madeireiro) uma empresa especializada na extração de madeira em Andoran e conhecida por suas práticas abusivas para reduzir custos (o governo até quer se livrar do Lumber Consortium, mas eles ameaçaram paralisar a industria madeireira, algo que por enquanto Andoran não pode conviver). No meio desse jogo de interesses está Falcon Hollow (Vão do Falcão), um vilarejo fundado pelo Lumber Consortium para ser o centro de operações de Darkmoon Vale e abrigar os lenhadores, contudo a vila acabou se tornando um ponto de concentração de aventureiros atraídos pelas inúmeras ruínas de anões da região, misteriosos cultos druídicos, matilhas de lobisomens, reinos de fadas que querem entrar em guerra com os humanos pelas atrocidades cometidas pelo Lumber Consortium e muitas outras coisas que enchem esse livro de belas histórias para se jogar RPG.

Overview – É o capitulo que dá clima ao livro apresentando algumas verdades básicas sobre o vale (como costumes, moedas, moradia, economia e cultura). É organizado de maneira bem similar ao primeiro capitulo de Guide to Korvosa (até parece um copiar e colar que ele só mudou o conteúdo).

Wilderness – Um extenso capitulo onde são apresentados em detalhes todas as regiões naturais e ermas do vale, sejam florestas, rios, montanhas e outros acidentes geográficos. Tudo incluindo lendas sobre os locais, e rumores sobre criaturas e organizações que operam nessas áreas. É bem completo mesmo e chega a parecer um guia de um lugar real. Porem aqui que começam alguns erros porque citam coisas que mais tarde são esquecidas (como a criatura Dream Wolf que nunca é explicada e algumas ruínas que não aparecem em nenhum mapa). De qualquer forma ainda é um dos melhores textos que já li sobre locais para aventuras em pequena escala, se não puder ser usado exatamente como está escrito (é genérico o suficiente para aparecer na maioria dos cenários) pode dar muitas ideias para um mestre construir uma região.

Civilization – Aqui todos os vilarejos, vilas e pequenos núcleos de civilização espalhados pelo vale são descritos, o livro vai muito alem de Falcon Hollow descrevendo outros vilarejos próximos com suas próprias tramas assim como NPCs importantes em cada uma e organizações importantes (como o Lumber Consortium, o exercito de Andoran e outras coisas). Tambem é muito bem escrito e um ótimo exemplo em como estruturar um conjunto de vilas próximas e as interrelações entre elas dentro de um panorama maior, mesmo cada uma delas tendo seus próprios problemas elas ainda assim cooperam entre si para outros objetivos e circunstancias. Tambem é dado uma pincelada em coisas mais praticas para aventureiros como o estado de cada raça no vale e quais religiões são predominantes e de que forma.

History – Neste capitulo mais didático é apresentada a história conhecida e aceita do vale, desde sua descoberta, colonização e relação com a ascensão e queda do império anão de Thar Khardurrm e um novo renascimento pela industria madeireira. É curtinho mas informativo.

Secrets – Este é  único capitulo que deve ser selado aos jogadores, a maioria das perguntas sem resposta dos capítulos anteriores são respondidas sem nenhuma cerimonia (mas ainda deixa algumas coisas a cargo do mestre). Este capitulo também é facilmente ignorado porque quem quer usar o vale mas sem usar nenhum metaplot de Golarion e portanto é um facilitador por juntar tudo num lugar só.  Existem algumas tramas meio novelescas de relacionamento entre NPCs, e outras coisas de deixar o cabelo em pé e ficar ansioso de ver como os jogadores iriam reagir ao tropeçar sobre aquilo. Achei que faltou falar mais sobre os motivos do Sundering, mas pode ser que algum suplemento futuro sobre o Five Kings Mountains entre mais nesse plot.

Appendix – Novamente é no apêndice que todo conteúdo de regras fica concentrado, mas novamente alguns spoilers vieram parar aqui como uma enorme tabela com níveis e classes sugeridos para os NPCs citados (e alguns casos revela alguns segredos deles), algumas regras de altitude são repetidas da aventura Spires of Xin-Shalast, são apresentados dois novos talentos: Strenght of Diamond (diminui os efeitos de medo para os membros do regimento diamante do exercito de Andoran) e Green Faith Acolyte (ajuda a proteger a vegetação dos poderes dos membros da organização druidica Green Faith e melhora as relações com criaturas planta). Tambem temos algumas fichas de NPCs genéricos e tabelas de encontro aleatório.

Draconclusão: Nenhuma adventure path passa até o momento pelo Darkmoon Vale, porem diversas aventuras da linha Pathfinder Module acontecem no vale. Fora isso o suplemento é meio que renegado pela Paizo por motivos misteriosos; pouco do material dele sequer é utilizado em outros livros(apesar do enorme background criado no livro), pouca errata foi fornecida (apesar dos erros grosseiros) e depois da mudança para o Pathfinder RPG praticamente nada foi oficialmente atualizado. Tudo isso contribui enormemente contra o livro, mas pelas fascinante idéias contidas nele, a arte das ilustrações de NPCs que está muito boa e por que é um dos poucos livros que abordam algo tão lugar comum mas ao mesmo tempo tão bem feito (a maioria dos suplementos similares da Paizo são sobre localidades mais exóticas e fora do padrão da fantasia medieval) acabam tornando esse livro indicado caso o leitor saiba evitar frustrações com a falta de acabamento e revisão que ele teve (o mapa que acompanha o produto mal tem legendas tornando quase inútil).

Notas: Diversão: 5,5 Aproveitamento: 7,0 Arte: 7,5 Sistema: 5,0 Background: 7,5 Nota Final: 6,5

Editora: Paizo Publishing

Autores: Mike Macartor

Sistema: OGL 3.5E

Lançamento: Junho/2008

Descrição: 64 páginas capa mole

Link para o produto

Anúncios
Categorias:Reviews Tags:,
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: